O doce de bêbedo de Mário de Andrade

“Eu, de Mário [de Andrade], tenho as lembranças mais afetuosas de convivência, que excluíam qualquer sentido literário, porque ele gostava muito de cozinhar e eu também. Às vezes ele não estava bem em casa e chamava a gente. Fazia uma comidinha, isso acho que foi só uma ou duas vezes. […] Eu já estava morando em…