Cadernos de família, livros de receita: modo de usar

Por escrito, as receitas são sempre mais bonitas, gostosas e possíveis do que na realidade? Talvez. Depois de quebrar os ovos, enfarinhar o avental e derramar açúcar na massa do bolo exatamente como mandou aquele caderno que está na família há tanto tempo, o que poderia dar errado? Tudo. E como explicar um resultado ainda melhor,…

O “prazer saudoso” da consoada de Natal

Em 25 de dezembro de 1941, um colunista do Correio Paulistano recorria a um anúncio de “restaurante” de cem anos antes, publicado no carioca Jornal do Commercio, para falar do Natal. O mencionado estabelecimento de nome curioso, Prazer Saudoso, instalado no Largo do Rocio (atual Praça Tiradentes), havia divulgado que da “noite de 24 do corrente até as 10 horas do dia 25, há o bom…

Livros de comida

A comida como forma de ler o mundo e as pessoas é, junto com a memória e o gosto, parte fundamental do combustível que faz girar a engrenagem do Lembraria e de outros trabalhos que nossa brava equipe de duas faz todos os dias. Por isso a ideia de montar uma lista de livros que…

“Mas o que eram essas nozes fingidas?…

… Sei agora, as nozes fingidas têm só aparência, imitação da noz sem a noz.” Assim, Lygia Fagundes Telles (1923-) explica o que são nozes fingidas, docinhos de festa meio sumidos, aparentados do brigadeiro (o “primo” que se mantém famoso ainda hoje). Lygia menciona a receita em um contexto nada culinário, em meio às reflexões dos Fragmentos da Carta à…

Vestido bem cintado, saia na altura da panturrilha… e cartola

Instruções de leitura: antes de mais nada, coloque Nat King Cole para cantar. Depois, imagine uma cena: meados dos anos 1950 – aquele tempo a que muita gente quando era mais nova e ingênua se referia com um “puxa, queria ter vivido nessa época…”, achando que tudo não passava de um baile dos tempos da brilhantina no…

O que comíamos há trinta anos (era feito no micro-ondas)

Autor do clássico A Fisiologia do Gosto, o francês Brillat-Savarin (1755-1826) foi quem escreveu o aforismo “diga-me o que tu comes que te direi quem és”. Inspirado por essa questão já batida, proposta por Savarin, este texto começa com uma pergunta: “quem era você há vinte, trinta anos?”. Ou, em outras palavras, o que comia nas…

O molho de tomate da discórdia de Marcella Hazan

Este molho de tomate, que o site de receitas Epicurious ensina a fazer no vídeo acima, é talvez a mais conhecida receita que a italiana Marcella Hazan (1924-2013) legou ao público americano – e talvez a que ainda cause mais polêmica. Autora de muitos livros de culinária, incluindo o Fundamentos da Cozinha Italiana Clássica, lançado em português em 1997 pela…

Por que você está me contando isso?

Em “À Mesa com o Chapeleiro Maluco” (Companhia das Letras), o ensaísta Alberto Manguel explora a “demência sublime” de personagens doidos da literatura. Não é um livro de pegada gastronômica, ainda que seu nome possa sugerir que sim… “Em nossa época, para criar e manter a engrenagem forte e eficiente do lucro financeiro, escolhemos coletivamente…

O copo americano não é americano – e talvez nem seja “só” brasileiro

  Outro dia, uma amiga me enviou uma curiosa reportagem publicada pelo site Russia Beyond The Headlines sobre o “soviet glass”, o copo soviético, que é a cara do “nosso” popular copo americano. Começava assim o texto: “11 de setembro é o aniversário do onipresente, mas humilde copo soviético. O robusto, volumoso e conveniente item do dia…