Uma carta à mãe Peppina

“Milão, 26 de fevereiro de 1927 Querida mamãe, Encontro-me em Milão desde o dia 7 de fevereiro, nos cárceres judiciários de San Vittore. Saí de Ustica em 20 de janeiro e foi-me entregue aqui uma carta sua, sem data, mas que deve ser dos primeiros dias de fevereiro. Não deve se preocupar por uma mudança em…

Páscoa com saci e confeitos de anis

A Semana Santa por muito tempo marcou o fim da Quaresma iniciada no Carnaval. Apontava o dia em que, para os mais religiosos, era possível voltar a comer carne vermelha, galinha e ovos. Antes do Domingo de Páscoa, no entanto, ainda seria preciso jejuar na Sexta-Feira Santa, ou Sexta-Feira Maior, pelo menos até a hora do almoço,…

Uma história de escravidão, pães caseiros e cenouras miudinhas

Se Dona Risoleta estivesse viva, teria feito no último dia 20 de março 117 anos. Na década de 1970, quando beirava os 80, ela falou de sua vida para a psicóloga Ecléa Bosi (hoje professora emérita da Universidade de São Paulo), que então realizava as entrevistas que analisaria para o importante trabalho Memória e Sociedade: lembranças de…

“Todos, do rei e rainha ao camponês e sua mulher, comem com as mãos”

  Em 1530, o filósofo holandês Erasmo de Roterdã (1466-1536) lançou um livro que seria um sucesso, não apenas pelas centenas de reedições que teria nos séculos posteriores (só nos seis anos seguintes, até a morte dele, o título seria republicado trinta vezes), mas, principalmente, porque se tornaria o precursor dos futuros manuais de etiqueta…

Içá, o caviar impensamentável de Monteiro Lobato

Famoso vale-paraibano, Monteiro Lobato (1882-1948) nasceu em um sítio em Taubaté, mas passou boa parte da vida na cidade de São Paulo, onde se formou em Direito no Largo de São Francisco e trabalhou como escritor e editor de livros (fundou aquela que se tornaria a Companhia Editora Nacional, hoje pertencente ao Instituto Brasileiro de Edições Pedagógicas,…

Sobre enxergar o extraordinário no ordinário

Depois do ótimo Cartas Extraordinárias, Shaun Usher, pesquisador e organizador, assina Listas Extraordinárias, que não é menos distrativo. O prazer de virar as páginas equivale a devorar chocolates na cama sem precisar saber que horas são. Os dois são publicados no Brasil pela Companhia das Letras. No primeiro livro, Usher trabalhou correspondências em contextos históricos variados. Quem assiste…

O peru de Natal e a “felicidade gustativa” de Mário de Andrade

No conto O Peru de Natal, publicado por Mário de Andrade (1893-1945) na revista da Academia Paulista de Letras em 1942 e, posteriormente, na obra póstuma Contos Novos, de 1947, o protagonista Juca está cansado de cultivar o luto pelo pai, morto meses antes. Está cansado, na verdade, das regras antes impostas pela figura patriarcal…

Os cadernos caseiros da mulher-goiabada

“Quando mocinhas, elas podiam escrever seus pensamentos e estados d’alma (em prosa e em verso) nos diários de capa acetinada com vagas pinturas representando flores ou pombinhos brancos levando um coração no bico. Nos diários mais simples, cromos coloridos de cestinhos floridos ou crianças abraçadas a um cachorro. Depois de casadas, não tinha mais sentido…

Livro de Receitas para Mulheres Tristes

O verbo dos livros é “livrar”. O livro livra o leitor e o caminho, abrindo passagem no labirinto particular. E há mesmo algo de especial nos livros pequenos e nos textos avulsos: eles deitam no peito uma sensação de completude, de ir até o fim. É uma sensação parecida com a de cozinhar a refeição, larga,…

E a marmelada saiu do tacho, foi para o supermercado e sumiu…

Na seção de compotas de qualquer mercadinho, é fácil encontrar goiabada, doce de figo, bananada. Marmelada, no entanto, à base dos atualmente raros marmelos, quase nunca se encontra, embora, um dia, ela tenha sido uma das receitas mais comuns da culinária tradicional, sobretudo em São Paulo. No fim do século 16, acredite, já existia no…