Os bolinhos de carne moída da Dona Luzia

Filha de baiano, paulista nascida em Guarulhos, Fabiana Ferraz não costumava hesitar na escolha ao pedir para a mãe um comida especial em seu aniversário. No lugar de docinhos e bolo confeitado, a festinha dos sonhos daquela criança tinha bolinho de carne moída e refrigerante. A bela Dona Luzia já não cozinha mais. Suas receitas, contudo, ainda…

Especial: Dalva, as rãs do Rio Tietê e a história da alimentação em São Paulo

“Enquanto uma de nós conservar os saberes nutricionais de vocês, enquanto de mão em mão e de geração em geração se transmitirem as receitas da terna paciência de vocês, subsistirá uma memória fragmentária e obstinada da própria vida de vocês.” Luce Giard O historiador francês Pierre Nora, ao diferenciar história e memória, mantém essas duas…

Especial: Dalva e as rãs fritas do Rio Tietê

Muitos anos depois dessa foto, tirada em 1955 quando ela tinha 17, a paulistana Dalva Soares Bolognini continua encantadora: uma senhora elegante, de olhar interessado, sorriso delicado, jeito educado. Embora tenha nascido na Barra Funda, em 1938, passou a infância e a juventude no bairro da Casa Verde, em São Paulo, e lá permaneceu até se casar,…

O judaísmo que nascia pela boca

Em outro texto do Lembraria, apresentamos os mestres griôs, senhores e senhoras que guardam para si a respeitosa função de guardar e transmitir saberes dos mais diversos, aprendidos oralmente com pais, mães, avós. A paulistana Deborah Hornblas Travassos, nascida em 1961, parece ter se inspirado nessa história para contar a de sua mãe, que, “como toda matriarca…

O chá de hortelã com bolacha de água e sal

Lívia Mendes Moraes nasceu em 1990, em Santa Rita do Passa Quatro, no interior de São Paulo. Cresceu e vive até hoje no bairro de Aterrado, na também paulista cidade de Mogi Mirim. Lívia conta que anda por aí com a alma carimbada pela diversão na casa de seus avós, chácara em que a cozinha…

Cenas do passado em fatias bem fininhas

As fatias de memória de Ana Regina Sucigan são cortadas bem fininhas – um ensinamento de seu pai, Sabino, e de sua mãe, Odete, que “aprontavam” juntos café da manhã, almoço e jantar do jeito preferido de cada um dos filhos. Essas fatias exibem, transparentes, as cenas de um passado que foi presente adjetivo. Ana…

O pão com bife para D. Miú

Do Boqueirão, em Santos, no litoral de São Paulo, Luiz A. G. Cancello escreveu O Bife. Nesse texto, o filho de D. Miú, nascido em 1945, lembra das recomendações de uma prima para fazer o bife perfeito (jamais se deve ceder à tentação de dar uma última virada) e das circunstâncias que o levaram para…

O bife da tia Noêmia

Raimundo Alves de Lacerda vive em Jacarepaguá, Rio de Janeiro. Ele nasceu em 1947. Quando era pequeno, um Chevrolet Impala (quem sabe um Cadillac) o levava, junto de sua mãe e seus irmãos, para um fim de semana de alegria na casa de sua tia Noêmia, mulher do tio Bilô e fazedora de um bife acebolado…

Galos no fogão a lenha

As rinhas ou lutas de galos já foram tidas como um esporte e eram mais comuns do que se pode imaginar hoje. Sem fazer apologia a elas, o gaúcho Rodrigo Agra Balbueno, nascido em 1965 e hoje morador de Brasília, lembra-se do tempo em que o destino das aves “competidoras” era quase sempre a panela de…

O sorriso da mãe

Uma infinidade de conhecimentos é transmitida pela mãe que ensina o filho a cozinhar. O moço, por sua vez, busca nessa aula particular algo que vai além de acertar o cozimento do feijão e fazer o ovo frito mais que perfeito. Ao pedir para aprender, ele diz (sem dizer) que se importa (e que precisa)….

“O porco, para engordar, o caminho do chiqueiro tem que afundar”

É com a voz e o olhar de fotógrafo, convertidos em palavra escrita, que o mineiro Lilo Clareto, nascido em Passos, 1960, fala de suas memórias de comida e afeto. O depoimento fotográfico quase nos faz “enxergar” o aroma das quitandas que escapa pela porta da cozinha. E as conversas também. A história contada pelo Lilo, mansa, num crescente…

O frango da saudade refogada no açafrão

Dalva Estela de Azevedo tem 37 anos. Ela cresceu no bairro paulistano de Cidade Patriarca e, muito antes de se mudar para Joanesburgo, viveu ali junto de sua numerosa família. Depois de alguns dias indecisa sobre a memória que iria compartilhar no Fatias, foi preparando um almoço que a ideia surgiu. Era 23 de maio de…