Chuva no casamento dá sorte ou azar?

bolo_pais de Samuel_1917
Os pais de Samuel casaram-se em 1917, em São Paulo (foto: acervo Museu da Pessoa)

A edição de 26 de junho de 1910 da Revista da Semana, publicada no Rio de Janeiro, reunia algumas superstições de casamento em vigor na época em que a noiva ia até a cerimônia de carruagem não por moda retrô, mas por única opção.

Superstições no casamento

  • Dizem – e nunca se sabe quem – que se no dia escolhido por uma noiva para o casamento acontece chover, a sua vida futura será mais cheia de desgostos que de alegrias.
  • Apesar de correr também que o sábado é um dia fatídico para casamentos, as noivas escolhem quase sempre esse dia, o que faz parecer que a superstição passou de moda.
  • Se a carruagem que leva a noiva encontra um enterro, o cocheiro deve logo mudar de rua. Se se cruzam os carros, a sorte diz que ela pouco sobreviverá à boda.
  • Quebrar qualquer cousa de louça nesse dia é também extremamente agourento.
  • A senhorita que apanhar o bocado maior do grande bolo de noiva, que é cortado em pedaços regulares, é que primeiro se casa.
  • O destino foi certamente bondoso decretando que o chorar uma noiva no dia do seu casamento é bom agouro, porque seria um sacrifício estoico para uma jovem deixar a casa paterna sem verter alguma lágrima, sejam quais foram as prosperidades que a esperam na sua nova vida.
  • Dia enevoado no dia do casamento é profecia de grande felicidade.”

2 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s