O café da manhã do avô

Carlos Sia está prestes a completar 36 anos e, até hoje, nunca provou algo parecido com o sabor da lembrança do café da manhã que seu avô preparava para ele, quando pequeno. Ele nasceu em Belo Horizonte, onde vive ainda hoje.

“A memória de comida que mais mexe comigo era um tipo de misto que meu avô fazia de café da manhã. Eram duas fatias de pão de fôrma com sal, muçarela e tomate. Lembro-me de que o pão era mais pra queimado, já que era feito em uma mistura que ia ao fogo. Nunca mais na vida senti esse sabor.”

***

Este depoimento deu origem a um verbete em O Dicionário das Comidas Impossíveis, que surge das respostas ao questionário Fatias de memória.

Clique aqui para contar sua história e nos ajudar a preencher esse relicário.

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s